Comprinhas :)

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Posso dizer que o que mais gostei em Paris foram as compras :)
Na citypharma e place monge, e claro a sephora enorme dos Champs-Elysées (aquilo é um paraíso para as amantes de maquilhagem), trouxe um duo da Nars, blush e bronzer, dois correctores (a minha cor é a segunda das mais brancas, não havia o primeiro, já usei e confirmo que faz maravilhas para as olheiras de panda) e um batom da MAC "Please me". De maquilhagem foi só isso. 
Continuando nas farmácias, quando entrei aquilo estava uma confusão e apetecia-me fugir, quase não me podia mexer, mas arrisquei e trouxe muitas coisas. Só aquelas vitaminas da Phyto foram uma pechincha comparadas com o preço a que as vendem em Portugal. E estavam com pack promocional, na compra dum ofereciam outro, sem o pack, só uma coisinha daquelas para dois meses fica em 50€. Em Paris ficou a 20€ cada pack de dois. Já tenho vitaminas para um ano :D
Mais umas coisinhas para a pele, máscaras da Caudalie, umas coisas fofinhas da Nuxe, 3 cremes de mãos (uma mulher nunca tem cremes de mãos suficientes né), que por 1,5€ cada foram uma pechincha e coisas dessas gosto. 
Quando à cidade em si, posso dizer que prefiro Londres. A verdade é que ao fim do terceiro dia já queria vir embora. Não me senti segura, a cada esquina pessoas a abordarem para tentar roubar dinheiro, logo no primeiro dia, na ida para a Sacré Coeur um grupo de homens a rondar-nos, com uma treta a dizer que era para dar boa sorte e não sei quê, depois queriam uma "contribuição". Apanhámos um susto, não gostei nada. Andei sempre insegura e desconfiada, e digo que se isto está assim depois dos atentados, nem quero imaginar como estava antes. Há quem diga que Paris é a cidade mais romântica do mundo, mas discordo completamente. É daquelas coisas, cada pessoa tem a sua opinião, esta é a minha. Deu para aprender alguma coisa. A cidade tem coisas bonitas, e boas estruturas, pena a insegurança que se faz sentir. Para ir aos museus tinha de tirar casaco e mostrar a mala, mas para entrar no aeroporto, quando cheguei lá, não há alfândega, entrar sem pedir documentos, foi muito estranho, enfim. Esta foi a minha experiência, não recomendo, e é isto. 

Share:

1 comentários

  1. Fui a Paris um pouco antes do Natal e não podia discordar mais. Achei super seguro, andei de metro quase à hora de fecho e na rua já depois da meia-noite sem qualquer problema.
    Esses senhores no sacre couer são do mesmo género dos indianos que tentam vender flores, estavam a tentar vender pulseiras da sorte e inventavam mil e uma historia para chamar a atenção. Quando dissemos que éramos portugueses foi uma alegria e começaram logo a falar de futebol. Não lhes compramos nada e mesmo assim foram super simpáticos.

    Achei a cidade maravilhosa e o que mais gostei foi essa convivência pacifica e a miscelandia de culturas. A questão da segurança reforçada em museus e pontos turísticos é perfeitamente compreensível e, aliás, a mim só me fez sentir ainda mais segura.

    ResponderEliminar