Identifico-me...

Sempre foi assim. 
Se há uns anos me sentia mal com isso, hoje em dia sinto orgulho em ser assim.
Não me identifico com quase ninguém. Não tenho paciência para conversas fúteis, nem coisas mesquinhas. 
Uma boa conversa é aquela que fala de ideias, que nos deixa a querer falar mais. Como as conversas que tenho com o meu Homem. 
Conversas do género "ai comprei uma mala xpto, custou x, ai não resisti..." epá não.
Cada vez mais ligo menos a essas coisas, sinto que cada vez mais este mundo está cheio de pessoas que não pensam, que são como robôs, executam o que lhes pedem mas algo fora do contexto é um drama. Se têm um cérebro, usem-no por favor. 
Eu não ligo a bens materiais. Uma das coisas que mais detesto é enfiar-me em lojas de roupa. Acho que a última vez que comprei roupa foi online, e t-shirts pois as que tenho estão a ficar largas, e antes disso foi em Setembro. Odeio confusões.
Pessoas que têm o sonho de comprar coisas caras, sem limite, digam-me lá, o que é que isso vos acrescenta na vida? Zero!!! 
Nunca fui o tipo de pessoa de desperdiçar o que tenho, cuido das minhas coisas. Tenho vestidos com mais de 6 anos e ainda estão óptimos. Sou incapaz de dar quase um ordenado mínimo por uma mala. O dinheiro custa a ganhar, é ridículo ver pessoas a queixarem-se que estão mal mas depois aparecerem com coisas novas... Poupem-me. 
Tenho feito muitas mudanças na minha vida, é verdade. 
Também é preciso mudar.  
Uma das coisas que já há uns 2 anos tenho feito é reduzir a carne. Não como carne vermelha. Só frango ou peru, uma ou duas vezes por semana. Não estou a tornar-me vegetariana, apenas a melhorar a minha saúde. 
Por exemplo, entre gastar 120€ em tretas por mês, gasto-os nos sensores de glicémia. É caro, mas acho que este ano ainda será comparticipado. Desde que os uso que a minha saúde melhorou, não ter de picar os dedos, poder andar livre é uma sensação maravilhosa. Há 17 anos que não sabia o que era não ter de picar os dedos. A saúde é importante, tudo o resto é secundário. 

Viver a vida, aproveitar, ir passear ao pé da natureza e ter uma conversa interessante é das melhores coisas da vida. Poder respirar, sentir que sou capaz de mais, que com o meu esforço e as capacidades que vou descobrindo que tenho me estou a tornar uma pessoa melhor. Tenho mais auto-estima. Sem dúvida. Entrar na universidade mudou-me. Abriu-me a "pestana". Ter um ritmo de vida exaustivo, dormir 6h ou menos por noite, custa, não vou mentir. O curso não é fácil. Mas eu gosto de aprender. Se há algo que eu não sei, vou à procura. Ficar à espera que algo me caia do céu não faz o meu género. 
Priorizar as coisas, as pessoas que nos fazem bem, cuidar de mim, lutar pelo que quero, é isso que ando a fazer. Quero tirar o curso em 3 anos, vai custar "muito", muitas noites mal dormidas, andar muito cansada, mas isso vai valer a pena. No verão vou ter muito tempo para passear, viajar, etc. Agora passo os fins de semana a estudar e trabalhar. Não ando a desperdiçar o meu tempo noutras coisas. Daí o meu afastamento daqui. Tenho muito em que pensar, tenho saudades disto, de ler um livro, mas agora o tempo é escasso.    
Acho que por agora chega. :D
Beijinhos*


Share:

0 comentários