Das mudanças

Em 27 anos, desde que voltei a estudar, que está a ser o ano mais difícil para mim. Dormir menos de 6h, perder horas em transportes, voltar a estudar, ter mais responsabilidades, tratar da saúde, tratar das coisas em casa, tem sido tudo um turbilhão de emoções, nunca pensei que fosse tão difícil. 
Mas tenho de lutar, afinal de contas voltei a estudar para alcançar mais. Ficar num emprego onde não era feliz e ganhava uma miséria não é opção. Tem tudo a ver com escolhas. A vida não é fácil. Não estou propriamente num curso fácil, pelo contrário. 
E desde há 1/2 anos para cá que mudanças são o que mais acontecem. Foi deixar o trabalho, começar um curso para tirar o FCE. Inscrição na universidade, burocracias e assim. Desde que começou que não descanso como deve ser. E férias este ano só para o mês que vem. Exames atrás de exames, é exaustivo. 
Quanto às amizades, bem, se uma pessoa faz um teste e deixa de falar com alguém, de ir à procura, e a outra pessoa nada faz é porque não é assim tão amiga quanto tu pensavas. Comecei a ver que era só eu a fazer o esforço, a ir à procura, e isso para mim chegou para tirar conclusões. Ainda tive uma desilusão com outra pessoa este ano, basicamente não estou para aturar "miúdas" mimadas sem noção qualquer da vida real (realmente há pessoas que só têm dinheiro, já humildade nem vê-la). Quando tu tentas ajudar uma pessoa e essa pessoa à primeira oportunidade te tenta passar por cima, é coisa para me deixar lixada. Eu não sou má pessoa (acho), mas há coisas que não admito. Não é pelo facto de ter uma cara de menina que sou ingénua. Farta de pessoas interesseiras estou eu. É com cada uma. E isso chateia-me. Já deu para ver que não se pode confiar em ninguém. Enfim.
Acho que estou cada vez melhor a "identificar" pessoas interesseiras e cínicas. Soubessem vocês tudo o que se passa na minha vida, às vezes não sei se hei-de rir ou chorar com este tipo de pessoas, é ridículo.
Eu sei que ultimamente me tenho queixado muito, mas ando com demasiadas coisas guardadas cá dentro e isso não faz bem. Nem toda a gente tem uma vida tão "perfeita" como fazem crer nas redes sociais. É por isso que raramente meto lá alguma coisa, ninguém tem que saber o que faço ou não. É uma coisa que eu gosto muito, que se chama privacidade. 
Beijinhos*

Share:

1 comentários

  1. Tirando a parte de voltar a estudar, referente às amizades, não terei sido eu a escrever este texto? Ou escreveste sobre mim? *.*
    Sou 'eu'. Mesmo!
    E compreendo, a 100%.
    Às vezes até penso se serei 'má' - afinal não estou sozinha: Obrigada! :)

    PS: Que inveja (da muito-boa) pela força! Ânimo e tudo a correr bem.

    A Marta

    ResponderEliminar