Ser introvertida

Sim, sou introvertida. É diferente de ser tímida. É precisar de ter tempo a sós para recarregar energias. Depois de estar muito tempo com pessoas, com confusão, fico exausta. Antes não sabia que era introvertida, antes de ler um livro da Susan Cain "Quiet", em que me identifiquei completamente com o que li.
A verdade é que eu até gosto de ser assim. É a minha maneira de ser. Não gosto de confusões, que invadam o meu espaço pessoal, de pessoas que respiram para cima de mim, considera isso sufocante. Preciso de espaço para respirar, é assim tão difícil de entender que algumas pessoas precisam de mais espaço que outras? 
Bem, continuando, não sou de falar muito, mas sim de observar. Odeio apresentações e coisas do género, falar para muitas pessoas. Acho que depois de cães a ladrar é aquilo que mais me assusta. 
Eu gosto de animais, não gosto é que me tentem matar de susto, há um mês apanhei o maior susto da minha vida, fui caminhar para um sítio novo e 3 ou 4 cães a ladrar, 2 mesmo a meio metro de mim e eu fiquei aterrorizada, pensei mesmo que o cão me ia morder. Gosto de cães fofinhos e pequeninos, não grandes e a ladrar para cima de mim. Espero nunca voltar a passar pelo mesmo. Credo.
Eu gosto do meu espaço. Até gosto de algumas pessoas, mas na maior parte das vezes fico "farta" de pessoas porque barulho e confusão desconcentra-me. Eu estudo bem é em casa, onde estou em silêncio (quando a outra não liga a sinfonia do aspirador), onde posso ser eu, estar com as minhas ideias, sozinha. Para mim coisas sobre pressão não funcionam. Prefiro fazer as coisas com calma, com antecedência, não "em cima do joelho". Preparação, não deixar para a última. Voltar a estudar é algo em que não pensava, e muito menos escolher o curso que estou a tirar. Mas é algo que me está a dar uma sensação de superação, de conseguir, eu sou capaz de mais. Ao contrário do que sempre "ouvi" na minha vida, pessoas más, a tentarem pisar-me, e ainda tentam, eu não me vingo. Tenho mais que fazer. Eu gostava é de saber como é que as pessoas conseguem ser tão mesquinhas, tão baixo nível? Metem-me nojo. E eu antigamente acreditava no que me diziam. Agora? Confianças? Nop. Já não me deixo pisar, aqui a "menina" cresceu, e eu tenho o meu valor. Agora entendo, a inveja é lixada, mas eu só estou a viver a minha vida. Não gosto de "conversas da treta", nem de fingir ser algo que não sou para "pertencer" a este mundo. É claro que quando arranjar trabalho vou ter de engolir sapos. Mas eu sou trabalhadora. Tenho o meu valor. E isso ninguém me tira. 
Outra coisa que também me irrita, é a falta de humildade das pessoas. Eu não tenho vergonha nenhuma em ter vindo da terrinha, que sei o que é ter galinhas, patinhos, uma horta, árvores, um tanque para lavar roupa, etc. E que um dia gostava de ter uma moradia, uma horta, um sítio para ter gatinhos e outras coisas. A realidade é diferente, moro num apartamento, e se os meus vizinhos do lado fossem pessoas educadas até era simpática, mas quem me perturba o descanso e não respeita ninguém não merece respeito. Qual é o mal de dizer bom dia, com licença, se faz favor, obrigado? 
Eu sei o que é viver na cidade e viver na terra. É diferente, conheço ambas as realidades. E não é por ter mudado que sou uma pessoa diferente. Mantenho a minha essência. É com trabalho que se constroem as coisas. Gosto de montar/desmontar móveis, sei usar um martelo e chaves de fendas, não tenho medo de carregar coisas (até um certo peso), ou de me sujar. Sou mulher mas não sou nenhuma atadinha. Posso ser calada, mas não me tomam por parva. É engraçado ver o quanto o meu instinto é mesmo bom. Raramente me engano sobre as pessoas. Certas "amizades" que deixaram de ser, pessoas a tentarem provocar-me, eu nada. É giro, o facto de eu não reagir ainda as deixa mais furiosas... Mas pronto. Humildade, trabalho, humildade mais uma vez, e força de vontade. Ser boa pessoa não significa ser "atadinha". Se tenho cérebro, é para usar, para pensar nas coisas, insistir, não desistir à primeira dificuldade e pedir ajuda. Sou teimosa e casmurra como o raio, mas caramba, hei-de fazer as coisas bem, e descobrir por mim. Também sou orgulhosa e tenho mau feitio, ainda consigo ter mais mau feitio que o meu Homem :D 
Obrigada a quem teve paciência para ler isto tudo*

Share:

1 comentários

  1. é bom continuarmos a ser nós próprios.. a mim tb me mete muita confusão as pessoas da cidade não dizerem bom dia.. grrrr

    beijos***

    passatempo a decorrer lá no blog_: https://rosa-xhiclet.blogspot.pt/2017/10/passatempo-rosa-chiclet-batiste.html

    ResponderEliminar