Das coisas que uma pessoa só aprende com o tempo


A respirar…
Num mundo onde o “normal” é falar muito, ser muito sociável, sair com os amigos todas as semanas, falar de coisas ditas “fúteis”, o facto de uma pessoa não ser assim, não é tão bem aceite como os extrovertidos. Não me levem a mal, também tenho os meus momentos com conversas fúteis, coisas de mulher, maquilhagem, etc, mas não são essas conversas propriamente ditas que me enchem a alma.
Hoje em dia, e cada vez mais, sinto necessidade de estar em silêncio. Parar e olhar para o horizonte, ver o pôr do sol junto ao rio, respirar, pensar na vida.
O mundo é demasiado acelerado. Daqui a nada já estou a entrar nos 30 (vá ainda faltam 2 anos), mas o que mais me faz falta, é sem dúvida silêncio. Estar em paz, sossegada, respirar fundo, e tomar decisões com calma, sendo racional, vendo as perspectivas e o que posso e quero fazer.
Tenho sonhos, mas mais que isso, luto e esforço-me para os concretizar. Não sonho ganhar o euromilhões, embora desse jeito, ter saúde, amor e ser bem-sucedida profissionalmente é o que mais quero. Custa sair da inércia, fazer algo fora da nossa zona de conforto. Se custa. Mas poder crescer como pessoa, conseguir lidar com os medos e inseguranças que por vezes não passam disso, depois há aquela sensação de superação, e isso é das melhores coisas que se podem sentir. Superar desafios, lutar por mais, não ficar à espera que as coisas se façam por si próprias (só que não). É por isto que é importante o silêncio. Gosto de conversas que me deixem a reflectir, de falar sobre ideias e sonhos, onde o tempo passa a correr. Conversas sobre outras pessoas, ou coisas idiotas, deixam-me exausta. Haja paciência. Não gosto de falar só por falar. Em geral prefiro guardar os meus pensamentos para mim mesma. Coisas pessoais e sonhos só em quem mais confio, na pessoa que me fez ver que sou capaz de mais, que me fez lutar por mais. Tenho um bocado mau feitio, mas quem me quer e faz bem, eu dou tudo e até sou uma pessoa fofa e lamechas. E quase ninguém conhece esse meu lado. Não é para quem quer, é para quem merece. 
Menos é mais. Menos pessoas tóxicas, mais pessoas que nos querem bem. Menos amigos falsos, menos amizades por interesse, mais amigos que nos querem ver felizes. Menos barulho, mais silêncio. Mais respeito, mais pessoas competentes, menos pessoas “nhó-nhó” que não procuram aprender coisas novas. 
É importante escutar mais, e falar menos.

Share:

0 comentários